Faz cerca de dois anos que eu comprei um par de AirPods, o fone de ouvido todo high tech da Apple. E, olha, eles são realmente maravilhosos: leves, com som bastante respeitável, bem mais rápidos do que outros fones Bluetooth pra conectar, desconectar e alternar entre dispositivos, boa autonomia de bateria, tempo de recarga insanamente rápido etc. Porém...

Após mais de dois anos de uso e algumas recentes consultas com otorrinolaringologistas, infelizmente eu acho que detonei minha audição. E realmente parece que foi em grande parte por causa desse caríssimo, lindíssimo e maligno hardware.

Apesar da culpa não ser exclusivamente deles, eu quero argumentar aqui que os AirPods têm características de design que incentivam o uso prejudicial, aumentando as chances do usuário sofrer danos auditivos reais.

Os três tipos de fones

Antes de mais nada, vamos fazer aqui uma definição informal de três tipos de fones de ouvido.

O tipo 1 é o que eu gosto de chamar de "fone grande": aqueles que cobrem a orelha completamente e que têm uma alça superior que passa por cima da cabeça. Alguns deles têm um design aberto, que o som do fone escapar para fora e o som de fora se misturar com o som do fone, enquanto outros têm um design fechado, que isola naturalmente o som externo e também não deixa sua música ser audível para quem está próximo.

Os do tipo 2 são os intra-auriculares. Aqueles fones que têm pontas de borracha ou de silicone e que você realmente enfia no ouvido.

Aos do tipo 3 eu me refiro como "fones duros". São o estilo que a Apple sempre preferiu. Fones de ouvido pequenos, completamente rígidos, que se encaixam na sua orelha sem que você precise realmente enfiar no ouvido. Eles não têm pontas de borracha, de silicone ou de nada parecido.

Os AirPods são, claro, desse tipo 3.

E, tendo usado fones de boa qualidade dos três tipos, digo que os AirPods são, para mim, de longe, o melhor fone tipo 3 que existe. Mas isso não é bom.

Design prático e perigoso

A principal característica dos AirPods é que eles são extremamente práticos e convenientes. Eles não têm fios e são muito leves, o que significa que você coloca eles nas orelhas e deixa. Diferentemente dos fones normais da Apple, ou de qualquer outro fone com fio, ou maior, você consegue colocar os AirPods e esquecer deles. Eles não atrapalham, eles não distraem, eles simplesmente estão ali, e ali eles ficam. Quase invisíveis — ao menos para quem usa.

Graças à boa performance de bateria (e à recarga extremamente rápida no case), você consegue usar eles um dia inteiro, ou mais. Tendo feito isso, obviamente você deixa eles sempre carregados, para poder usar sempre. Melhor ainda é o fato de que você pode carregar o case enquanto usa o fone, para que o case esteja cheio de energia para rapidamente carregar o fone na próxima vez que você tirar.

Tudo isso faz com que o usuário tenda a usar os AirPods por mais tempo (no meu caso, bem mais tempo) do que jamais usou outros fones de ouvido.

Como eles não oferecem nenhum tipo de isolamento ou cancelamento sonoro, o usuário tende a usá-los num volume próximo do máximo. Eu usei os AirPods por muito tempo, e quase sempre em ambientes não silenciosos. Metrôs, cafés, andando na rua em meio ao trânsito etc. No meu caso, mesmo o uso em casa poderia ser considerado esse tipo de uso: moro em um apartamento de segundo andar em uma avenida bem movimentada. Para mim, era comum usar o fone a 80% do volume máximo, ou mais.

Ou seja

O design dos AirPods torna eles incrivelmente tentadores de se usar por muito tempo, para tudo (desde ouvir músicas e podcasts a gravar ou ouvir mensagens de áudio e fazer ligações), ao mesmo tempo em que encorajam o uso em volumes altos. Isso é uma verdadeira bomba-relógio para danos auditivos.

O resultado, ao menos para mim, foi este:

Esses dois últimos pontos de cada linha definitivamente não deveriam estar tão para baixo

E isso não é o pior.

Essa perda auditiva, apesar de real, definitiva e bem acima do esperado para alguém da minha idade, não me atrapalha no dia-a-dia. Na prática, eu tenho mais dificuldade de ouvir ruídos de volume particularmente baixo em faixas de som mais agudas. Sem problemas. Conversando com você, nem eu nem você perceberíamos. O negócio é fazer com que isso não piore com o tempo. Se eu conseguir, não terei nenhum impacto perceptível de qualidade de vida.

Mas eu também tenho tinnitus. Certas partes do meu aparelho auditivo foram danificadas a ponto do meu cérebro ter ficado confuso e hoje acreditar que existe um ruído constante e me fazer ouvi-lo o tempo inteirinho, 24h por dia. No meu caso é um zumbido agudo e fino, relativamente fácil de ignorar, mas presente o tempo todo. Descobri há cerca de três meses, e desde então venho pesquisando por que isso aconteceu e como lidar com isso.

Em resumo? Não tem cura, não vai passar nunca, dificilmente vai diminuir, e, se eu não tomar cuidados reais e constantes, tende a aumentar.

Por que os AirPods são particularmente perigosos

Fones do tipo 1 muitas vezes têm um design "fechado", que ajuda a naturalmente bloquear os ruídos externos enquanto você os usa. Os do tipo 2 são ainda melhores nisso, já que por design eles tampam os seus canais auditivos completamente. Basta usar um fone com essas características, mesmo desligado, para perceber que o mundo externo fica mais silencioso.

Isso quando esse tipo de fone não tem tecnologia de cancelamento de ruído ativa. Nesses casos, os fones não apenas bloqueiam fisicamente o ruído como eu descrevi acima, mas também "cancelam" ele. Essa tecnologia está presente em fones mais caros, que usam microfones para "ouvir" o ruído externo do mundo ao seu redor e que usam essa informação para instantaneamente criar ondas sonoras invertidas nos seus ouvidos, resultando em um silêncio quase perfeito nos seus ouvidos. Eles ouvem som 1, então criam um som -1, e o resultado pra você é um som zero. É quase bruxaria, eu acho legal demais.

O design desses tipos de fone faz com que você tenha alguma medida de bloqueio ou cancelamento do som ao seu redor, possibilitando que você ouça música confortavelmente em um volume mais baixo. O que é ótimo.

Os fones do tipo 3 não têm nada isso. Eles não "tampam" os seus ouvidos, nem usam bruxaria de ondas sonoras invertidas para mascarar o som do metrô. Eles entregam música nos seus ouvidos, mas essa música tem que competir com os sons externos para ser ouvida. Assim, você faz o quê? Aumenta o volume.

Os fones mais comuns e baratos não têm qualidade de som muito boa e têm fios inconvenientes, fazendo com que a maior parte das pessoas usem relativamente pouco. Os AirPods, por outro lado, como eu disse antes, são o "melhor" fone de ouvido do tipo 3 que existe. O mais provável de você usar por muitas horas por dia.

O que é perigosíssimo.

Então é o seguinte

Cuidado com fones de ouvido, cara. Sério.

Eu amo música. Sempre ouvi muito e sempre me defini em grande parte ao redor do meu gosto musical. Muitas das melhores coisas que já me aconteceram na vida e que me tornaram quem eu sou aconteceram por causa de alguma banda, algum show, algum disco. Quase todos os meus melhores momentos têm trilha sonora.

Hoje, eu me vejo tendo que ouvir menos música. Eu tenho que parar de usar fones de ouvido (de qualquer tipo, mesmo dos menos perigoso) a menos que estritamente necessário, com medo da minha situação piorar. Eu não posso mais ouvir um álbum novo enquanto caminho no parque. Não posso mais levar um podcast para a academia. Não posso mais nem ouvir os clássicos dos anos 90 da Britney Spears enquanto lavo a louça — ao menos não discretamente.

Eu tenho a audição de alguém com o dobro da minha idade e ouço um zunido filho da puta o tempo inteirinho, incluindo agora, enquanto escrevo isso, e também agora, enquanto você lê isso.

Tudo isso porque eu usei fones por tempo demais, num volume alto demais.

Então não faça isso.

Tente usar fones de ouvido por pouco tempo, e de um tipo que te possibilite ouvir música confortavelmente num volume baixo. Os AirPods, por design, não permitem e não encorajam isso.