Quem é o seu melhor amigo ou a sua melhor amiga? Quem vem à mente? Se não for um amigo, quem então é a pessoa mais importante da sua vida? Aquele alguém por quem você superaria os seus limites e seria mais forte do que é, em caso de necessidade?

Quem é que você ama com um amor mais forte do que o amor de namorados recém-namorantes? Quem é que vai estar rindo ao seu lado daqui a 30 anos? Quem?

Você que está lendo, você imaginou alguém. Essa pessoa tem um nome. Pense no nome dela. A partir de agora, sempre que aparecer um espaço em branco no texto, leia o nome dessa pessoa. Assim: _________.


Uma coisa que eu aprendi na vida é como tratar a mim mesmo. Na prática é difícil e eu ainda falho muito mais do que gostaria, mas a teoria é sólida e tão óbvia, mas tão óbvia, que eu não entendo como demorei 29 anos para entender — ou como as pessoas não nascem sabendo disso instintivamente.

Mas ao ver as pessoas andando pelo mundo e agindo em suas vidas, fica claro que a maioria delas não sabe disso. Ou talvez saiba, mas não faça. Ao menos não parece que fazem. Então resolvi escrever. Mal não há de fazer.

É simples: trate a si mesmo como você trataria _________.

É só isso.

Mas é necessário fazer isso incansavelmente. O tempo todo. Não só nas piores ou nas melhores horas. É necessário se tratar assim o tempo inteirinho, sem intervalos e com paciência infinita, assim como você faria com _________.

Se _________ tivesse falhado em algo importante, você seria violentamente crítico com essa pessoa que você ama? Você a trataria como um fracasso, como alguém que não merece as oportunidades que tem? Você desencorajaria a tentar de novo?

Imagino que não. Então não faça isso com você.

Trate-se da mesma forma que trataria _________.

Como eu disse, isso se aplica a coisas pequenas do dia-a-dia também. Por exemplo: se você fizesse um miojo para _________, você serviria direto na panela, ou colocaria pelo menos num pratinho recém-lavado? Então não coma miojo na panela. Você gosta mais de você do que isso. Você gosta tanto de você quanto gosta de _________.

Na verdade, talvez você nem fizesse miojo, se esforçaria pra fazer pelo menos um arrozinho. Uma salada. Um bife de frango.

Entende? Talvez tenha sido um exemplo estranho, mas a ideia foi pegar um momento completamente corriqueiro no qual você poderia se tratar com menos bondade do que você trataria outra pessoa.

Então é isso: trate-se com a mesma bondade, paciência, amor, serenidade e boa vontade que você teria com _________. Especialmente nos momentos em que você mais tende a se tratar mal, nos momentos em que você mais precisaria ser tratado com bondade, paciência, amor, serenidade e boa vontade.

Mas não apenas nesses. O tempo todo, todos os dias.

Você merece tanto quanto _________.

Não é óbvio?